segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

O velho hábito da Mia

A Dieta Low Carb vem funcionando bem. Roupas mais folgadas, medidas menores (bom, o peso não se altera muito por causa da troca de gordura por massa). Teoricamente, está tudo dando certo. Mas aquele velho distúrbio, já tratado e retratado diversas vezes no blog e na cadeira do terapeuta e do psiquiatra, continuam a me importunar.

Apesar de saber que estou mais magra (perdi medidas, minhas roupas estão folgadas, etc.), e todos ao meu redor confirmarem e elogiarem que estou magra, não me sinto assim. Me vejo gorda, com o mesmo corpo toda vez que me olho no espelho. Continuo com raiva dos meus quadris, dos culotes, do pneu nas costas e da pochete nojenta da barriga. Tenho vergonha do meu corpo, e vejo que o caminho ainda é longo.

Ao mesmo tempo, tenho medo que ela volte a me importunar, incitando-me a fazer as coisas e jogando na cara que eu quase não evoluí esse tempo todo. Como ela é cruel! Mas eu estou sendo mais cruel que ela. Reconheço minha situação deplorável.

Vejo-me desleixada comigo mesma, com minha aparência. Nunca mais comprei uma roupa, um sapato, uma lingerie. Maquiagem, apenas no dia de festa - e olhe lá. A última vez que usei foi no Natal. Na casa de praia, usei meus biquines velhos, por que não achei digno gastar dinheiro com uma peça cara e minúscula para um corpo que está mudando tão devagar. Sinto-me enojada a cada vez que me vejo de corpo inteiro no espelho. Parei de usar o espelho do quarto. Uso o do banheiro, apenas para por as lentes de contato (e olhe lá).

O cruel da parte dela, é esfregar na minha cara e cantar repetidamente com aquela voz irritante que eu não sou tão focada quanto pareço, que minha força de vontade é menor que a dela. (Deus, como preciso de um chiclete!) Me sinto impotente quando acontece algum imprevisto e eu tenho que me manter firme na rotina da dieta/exercícios.

Ando contando mais ou menos os carboidratos (hoje em especial, já atingi os 25g fácil - talvez até um pouco mais). Me atrasei para o trabalho e acabei comendo um cookie sem gluten de 17g de carbo, com mais 2g do café com creme. No almoço, uns 2g de carb (folhas, 1/4 de tomate e brócolis), mas a danada da Mia me fez salivar pensando em bala de coco (consumi 2 unidades - 8g de carb). O ideal era manter a meta de 20g, mas, por sorte, ainda está longe dos 50g máximos do dia.

Preciso sentar, me organizar e focar. Organizar metas da dieta (de consumo alimentar, se for de perda de peso, eu surto), dias de pesagem (estabelecer um dia para isso)... E preciso também voltar a organizar minha alimentação regradinha, meu chá para acompanhar as refeições (até penso em levar umas garrafinhas dele geladinho para o trabalho). O mais importante, é seguir.

Essa noite estive ansiosa. Não consegui dormir. Acabei com um soninho picado, acordei com uma fome dos infernos e com o nariz todo entupido. A corrida da manhã eu acabei boicotando e hoje, depois da sobremesa, a Mia não larga do meu pé.

Preciso de um choque de ânimo com urgência. Preciso me sentir mudando. Por mais que o ritmo esteja lento, não vejo as alterações no corpo. Minha mente pede socorro, e tento manter minha consciência flutuando no mar de lamentações enquanto a Mia me puxa para baixo, mas resisto pensando que não dei razão a ela para isso. No fundo, ela quer atenção.

Toda vez que dou uma escapulida, penso em compensar de alguma forma: Jejum intermitente (uma espécie de NF), exercícios que não consigo fazer, ou simplesmente lamentar, como estou fazendo agora.

A noite, vou me prometer caminhar na esteira (já que o sono não permite que eu corra por muito tempo) e amanhã cedo eu corro um pouquinho. Já é suficiente. Estou cansada. Quero meu corpo de volta!

 


11 comentários:

  1. Eu odeio a bulimia. Não existe essa alternativa. Muito menos comer lixo premeditadamente pensando já na compensação bulímica. Primeiro porque não compensa. Açúcar é absorvido com a velocidade da luz. E nunca vai dar para vomitar 100%. Depois, todo o bla bla bla saudável que você já ouviu, que faz mal, estraga os dentes, o esofago, desidrata, desequilibra quimicamente, mata(...).
    Espero que consiga acalmar essa diaba. >.< Você é boa nos planejamentos e em cumpri-los, você consegue compensar de maneiras mais saudáveis(como exercício), você totalmente não precisa dela!!
    Espero que tenha te convencido T-T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Mia não me força a vomitar, mas me faz sentir aquela culpa procurando uma compensação.
      Já fez muito isso, mas (tem até um post falando sobre) nem só de vômito vive a Mia.
      Obrigada pelo apoio!

      Excluir
  2. Calma, você está mudando, ainda que devagar, logo logo vai notar os resultados, é melhor uma mudança lenta, mas definitiva do que rápida para depois engordar de novo.

    Está indo bem, ânimo, talvez esteja precisando justamente se arrumar e se sentir bonita para perceber melhor os resultados.

    Kisses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você tem razão. Estou desanimada.

      Excluir
  3. Eu vejo determinação em suas palavras. Supere ela, por se você não fizer sabe q a mia vai estragar você um dia.
    Força.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu a odeio! Ela já estragou minha vida uma vez. Hoje em dia, ela quase não tem mais força. Mas tem boca e espírito de porco. Fala demais e só fala merda. E me deixa nervosa.
      Obrigada pelo apoio.

      Excluir
  4. oi lindeza.. retribuindo a visita e já seguindo.. vem cá.. sua meta é 45 kg??? qual a sua altura?? bjokas e sucesso

    ResponderExcluir
  5. Vou ficar acompanhando para ver como faz seus planejamentos, força para vencer as tentações.

    ResponderExcluir
  6. Oi linda, tente manter a calma e voltar ao foco. Planejar e se animar novamente, tenho a certeza de que és linda e precisa ver isso em você, não fuja dos espelhos, encare e vencerá! Força pra ti! Grande abraço! http://emagrecendoparaavida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! Seu apoio é importante nessa jornada!